top of page
Buscar
  • Foto do escritorPsicóloga Angelita Eccel

Mãe e a pandemia

Atualizado: 24 de out. de 2022


A mãe por si só, já é uma pandemia de sentimentos.

Quantos vírus do bem e alguns nem tão bons assim.

A mãe tem o vírus do medo, da insegurança, da culpa, dos bichos, da super proteção, do amor entre outros.

- O vírus do medo... medo que aconteça algo com o filho, medo que ele saia sem o casaco e sem o guarda-chuva, medo que alguém faça bullying com seu filho, medo que seu filho não consiga dar conta do que a sociedade exige, medo que seu filho cresça e esqueça todos os valores que lhe ensinou. Enfim, são milhares de medo.

*O vírus da insegurança... será que fui boa mãe, será que meu filho vai ser um bom menino (a), será que vou ter orgulho do meu filho (a), será que ele está preparado para se inserir na escola, na faculdade, no relacionamento, no trabalho, entre outros.

*O vírus da culpa... talvez, esse possa ser o vírus mais devastador.


Muitas vezes, as mães se culpam por ter optado pela maternidade e abandonado outros sonhos; outras se culpam por ter ido atrás dos sonhos e não ter estado tão presente na maternidade e na vida dos filhos. Algumas mães se culpam por ter dado umas palmadas, outras se culpam por não ter dado umas palmadas.


É importante que toda mãe pare e olhe para dentro de si, entenda que naquele momento deu o seu melhor, era tudo que acreditava ser o certo. Quem sabe, se em alguns momentos errou, lembre-se que isso é normal porque somos seres humanos. Porém, não é necessário carregar isso. Então, livre-se dessa bagagem, sente-se e fale com seu filho e explique. Se necessário peça perdão por alguma atitude errônea. Diga que esse momento é especial e que você está ali para se desculpar com a intenção de que esse gesto não se repita com seu filho (a) em relação aos seus futuros netos. Dê a oportunidade de seu filho (a) também falar de suas mágoas, a fim de ele poder resolver essas questões da infância.

*O vírus dos bichos do zoo... qual mãe que já não se tornou uma leoa quando tocaram no seu filhote, mãe canguru carregando seu filho no colo ou na garupa para baixo e para cima, mãe águia que ensina seu filho a voar e leva ele no penhasco mais alto e lhe empurra, mas ao mesmo tempo se posiciona de asas abertas caso o voo não saia perfeito e etc...

*O vírus da super proteção... esse vírus é muito cruel porque, de certa forma, futuramente, a criança terá sérias complicações relacionada a segurança a auto estima. A criança precisa passar por frustrações para se tornar resiliente. Exemplo: às vezes há pessoas que mentem para a criança, quando morre um bichinho de estimação. Dizem que o cachorrinho fugiu, então, a criança entende que ela não foi boa o suficiente com o animal, que o bichinho não gostava dela e por isso foi embora. Teriam inúmeros exemplos de super proteção para serem citados.


*O vírus do AMOR... esse é o mais lindo, uma mãe é capaz de dar sua vida pelo seu filho, mãe ama incondicionalmente, mãe sempre vai acreditar que dias melhores virão, a mãe possui criatividade até nos momentos mais difíceis, e sempre vai mostrar o lado bom da situação. A mãe tem um sexto sentido apurado, inclusive ela conhece um filho até pelo olhar. A mãe é puro amor pelo seu rebento, faz coisa que às vezes até Deus duvida. Em muitas ocasiões inconscientemente, prepara os seus filhos para todas as situações... interessante que todas as mães já tinham preparado seus filhos para a reclusão e para a pandemia.

"Hoje reclamamos que estamos meses isolados, porém já ficamos nove meses isolados antes de ver a luz do dia".

E qual foi a primeira coisa que fizemos?

Choramos com medo do novo, por alguns segundos penso que novamente voltamos ao útero e estamos com medo desse novo enfrentamento que iremos fazer.


Muito amor a todas, esse é o único vírus que deve permanecer!


Com carinho Psicóloga Angelita Eccel

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page